Meu Negócio

Organização de eventos: você sabe quanto cobrar pelo seu trabalho?

Guadaim
Escrito por Guadaim

Não importa se você é novo no ramo ou se já tem experiência, a organização de eventos varia de acordo com cada cliente. Isso afeta o tipo de serviço executado e, consequentemente, seu preço final. Por isso, é importante que o profissional saiba o que considerar ao cobrar pelo trabalho.

A definição do preço de um evento exige desde o estudo dos gastos com a atividade até a pesquisa dos valores praticados pelos concorrentes. Quer ser justo com os clientes sem deixar de valorizar seu trabalho? Confira, a seguir, o que avaliar para ganhar dinheiro em eventos!

Analise os gastos fixos

Os gastos fixos são aqueles que ocorrem independentemente do número de convidados da atividade. Um locador, por exemplo, tem como custos fixos o aluguel, a manutenção do espaço, a água, a luz, a internet e os equipamentos técnicos para que o evento seja realizado.

Já o organizador de uma festa tem entre suas despesas fixas a contratação de artistas, de DJ ou de animadores, caso sejam solicitados. Quem trabalha com decoração, por outro lado, tem gastos com mão de obra, fornecedores e montagem de itens. Cada um desses fatores deve ser levantado e anotado, de preferência em uma planilha.

Verifique os custos variáveis

Os custos variáveis são os que mudam de acordo com o tipo de atendimento prestado e o número de participantes do evento. Alguns desses serviços são a produção de convites e lembrancinhas, o bufê, a contratação de funcionários para atender à demanda da ocasião, a compra de materiais específicos para decorar o ambiente e uma reserva para imprevistos.

Além disso, é preciso somar as horas gastas com o atendimento ao cliente, que devem ser multiplicadas pelo valor da hora de trabalho. Nesse ponto, vale adicionar os recursos utilizados, como transporte para chegar ao cliente, alimentação e ocupação do tempo.

Assim, se a hora de trabalho custa R$ 120 e foram gastas 48 horas em atendimento ao contratante do serviço, por exemplo, o valor total do trabalho é R$ 5.760.

Margem de lucro

Além de pagar os custos, o evento também deve trazer lucro para o prestador do serviço. O ideal é determinar uma quantia para gastos pessoais e outra para investir no desenvolvimento da empresa ou na realização de produções futuras.

Geralmente, no setor de eventos, é comum cobrar uma margem de lucro de 30% do total de custos e despesas para a concretização da festa.

Receba conteúdos incríveis como este! Clique aqui e assine nossa newsletter! 🙂

Pesquise o valor cobrado no mercado

Para não correr o risco de desvalorizar seu trabalho com um preço muito baixo nem afastar o público-alvo com um valor exorbitante, é recomendável pesquisar o mercado para saber quanto os concorrentes cobram para fazer eventos similares.

Quem acaba de ingressar nessa área ou ainda está em busca de estabilidade, pode fixar um preço médio em relação ao que é comum no mercado. Dessa forma, conforme ganhar notoriedade e for bem avaliado, pode aumentar o preço.

Organize as informações em uma planilha

Para ganhar praticidade e evitar erros na precificação do evento, todas as informações com os valores a serem cobrados devem ser colocadas em uma planilha.

É indicado elaborar um documento para cada custo. Com base nesses dados, pode-se criar um arquivo geral para orientar o trabalho com precisão. Assim, fica mais fácil precificar o serviço corretamente para tornar a organização de eventos mais eficiente e lucrativa para todos os envolvidos.

Precisa saber quanto cobrar para produzir uma festa? Aprenda como apresentar um orçamento de festa!

Sobre o autor

Guadaim

Guadaim

Desde 2006, a Guadaim incentiva quem quer ser dono do próprio negócio e ver sua empresa crescer. Nosso blog traz conteúdos para você seguir o melhor caminho e se tornar um empreendedor de sucesso!

Share This